Arquivo mensal: fevereiro 2017

‘ Al otro lado del rio

Padrão

De todos os tempos, de todos os lugares do mundo, de todos os amores, de todos os pulsares, quero o aqui e o agora. Quero o amor dele que atravessa fronteiras, que criou as raízes mais fortes desde o início, desde o primeiro acorde, criou raiz e virou tronco forte, virou norte, virou a leveza das asas que me trouxeram pra cá, por que sabia desse cristal, sabia que queria ele intacto e reluzente como deve ser. Não sabia se iria conseguir. Achei que era uma maneira de tatuar aquela experiência, aquela vida inteira que eu vi na estrada, dentro de mim, como amuleto, mas expandiu, ganhou mundo, ganhou vida e chegou no coração dele e expandiu e ganhou tudo, virou o nosso mundo, universo paralelo, maior do que a gravidade aguenta, por isso paira no ar, por isso sobrevoa os rios que hoje nos distanciam fisicamente, existe num tempo espaço que não precisa de nada além do nosso amor infinito pelos acordes da canção de uma guitarra.

O amor verdadeiro mais raro existe em mim e é alimentado e cuidado como o cristal mais frágil e mais denso que existe. Ele existe. Existimos no nosso amor.